A volência, a política e a sociedade

março 24, 2009 - Leave a Response

        Vivemos em um país cada dia mais urbanizado, que está em constante evolução certo? Por um lado sim por outro não. Talvez você que esteja lendo esse blog nunca tenha sido assaltado ou nunca tenha entrado em uma escola pública “descentralizada”. Dentro dessas duas situações existe uma realidade comum: a pobreza. Se analizarmos as classes  mais baixas veremos que elas são resultado dos seguintes fatos:

Educação precária

        Na minha opinião a falta de escolas públicas de qualidade, de pais interessados na vida escolar dos filhos e a falta de informação e atitude, isto é, a maioria das pessoas não se dá conta do quanto a escola será importante para a formação de um cidadão com capacidade  de exercer um emprego satisfatório, são as principais causas da violência. Os que consideram a educação um caminho chato e longo e que decidem não seguir esse caminho acabam caindo em um desespero violento, se inspiram naqueles que roubam e seguem um mesmo caminho. Os pais não estão nem aí e o resultado é o que vemos hoje em dia. O que fazer? A política não está presente na vida dessas pessoas, a não ser quando asfaltam a rua onde elas residem. E vai continuar assim até os filhos dos prefeitos e deputados e senadores e vereadores serem assaltados na frente da casa dos mesmos. Os políticos parecem não sentir a realidade evidente, fogem dessa realidade e quem sofre é o povo que paga pela segurança, pela qualidade de vida.

 

“A única solução é a educação, tanto a familiar quanto a escolar”

Giovani Zibetti Mantovani

Anúncios

E o futuro?

fevereiro 2, 2009 - Leave a Response

    Somos filhos de Deus ou somos restos de poeira estelar? É uma pergunta interessante, visto que divide muitos pensamentos hoje em dia, mas e o que isso tem a ver com o futuro de toda essa imensa humanidade? Quem se interessa por essa questão e por essa grande discussão (que ao meu ver será infindável) está em um bom caminho, pois aqueles que buscam conhecimento e melhor qualidade de vida algum dia chegarão a esse diálogo. Isso foi apenas um exemplo, pois a educação e a experiência – ah! Essas sim não pussuem fim.

    O problema são aqueles que não enxergam o futuro, que não o sentem e que não o calculam. Esses seres regredem com o tempo porque não querem nada com nada. Costumo dizer que as únicas pessoas que não tem potencial para estudar, conquistar  a vida são aqueles que foram seriamente afetados por alguma deficiência mental – isso que existem deficientes que dão a volta por cima apesar da dificuldade. 

    O que falta? Educação, paciência e vontade. Todos os “largados de plantão” e todo o resto da humanidade possuí potencial sim para conquistar o inconquistável, para vencer o invencível, para ser o objeto de desejo de toda uma sociedade, para viver. Pais, mães, família: é bom vocês começarem a fazer seus filhos, sobrinhos, parentes a pensar no futuro. Se não, irá sobrar vagabundagem e falsa qualidade de vida.

 

Ces’t la vie!*

 

*Ces’t la vie: do Francês significa É A VIDA!

As preciosidades da humanidade

dezembro 27, 2008 - Leave a Response

Dinheiro não traz amor, não nos sastifaz com carinho, não nos concede uma família de verdade, um amigo de verdade. É uma pena o fato de que a maior parte da sociedade não saiba disso, não aprenda isso, pois infelizmente a humanidade só vai compreender por que o dinheiro não nos traz a verdadeira velicidade quando estiver literalmente no fundo do poço, sem money¹ ou bem algum.

Pois bem: todos os humanos são realmente privilegiados, pois possuem a capacidade de amar e de serem amados, porque podem se relacionar com o resto dos seres vivos, inteligentes ou não. As finanças podem até pagar uma máquina digital ou um celular, mas não pagam o AMOR, não pagam o CARINHO, não pagam um AMIGO, não pagam uma VIDA (infelizmente hoje se paga pela VIDA, pois o poder público responsável pela saúde pública parece não saber o que é uma VIDA), pagam falsidade, pagam exageros, pagam ignorância, pagam violência.

O que quero dizer é que não é errado comprar coisas ou gastar o dinheiro de forma responsável, o errado é deixar a falsa felicidade material que objetos trazem substituir a verdadeira felicidade, felicidade que quantia nenhuma pode comprar.

(¹) money: palavra da língua inglesa que significa dinheiro.

Vida

dezembro 2, 2008 - Leave a Response

    É por causa dela que resolvi criar este pacato blog, que um dia será o mais rico de todos. Ultimamente eu venho me perguntando: qual é o sentido da vida? Hoje eu encontrei uma resposta. Não em livros, enciclopédias ou na internet mas na minha mente, nos meus pensamentos, na minha vida.

A vida terá o sentido que cada ser humano impor à ela.

    Quarenta e duas letras dizem tudo. Mostram o segredo pelo qual as pessoas escolhem viver sua vida ou disperdiçá-la. 

    A vida é o único instrumento que nós temos e nunca disfrutaremos dela outra vez. O corpo humano, a mente humana, os sentimentos humanos são os únicos instrumentos que nós temos e nunca disfrutaremos deles outra vez. A única coisa que devemos fazer para mudar a nossa vida é analizar ela e criar forças para mudar. Retirar essas forças da mais profunda vontade de viver. A vida é muito mais rica do que pensamos e cada um determina o valor que bem desejar para ela, cada um escolhe o que quer para si mesmo, essas escolhas que determinarão o sentido da nossa vida. 

 

                           Meu nome é Giovani Zibetti Mantovani, tenho 13 anos de idade e estarei todos os dias escrevendo aqui neste blog. 

Creative Commons License

O blog Minha mente brilhante por Giovani ZIbetti Mantovani está sobre licensa da Creative Commos Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Minha mente brilhante (blog) by Giovani ZIbetti Mantovani is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.